2006 - Tarde de mais Mariana

"Tarde de mais Mariana" é o título de um romance da escritora portuguesa Filomena Cabral.

Comprei este livro no dia em que meu primeiro relacionamento amoroso duradouro terminou. Nessa mesma altura, para um exercício escolar (balleteatro) era necessário criar um solo coreográfico. O facto de este livro estar muito presente, levei-o para estúdio como ponto de partida. O livro relata um trio amoroso, e vários textos são dedicados à morte de uma das personagens e a forma como ela perturbou Mariana (personagem principal) - também estão presentes reflexões das "Várias faces da mulher dúbia, ambígua, criada por cristãos e civilização patriarcal, onde somente através do homem, essas mulheres poderiam ter uma identidade definida". Tudo isso fazia sentido para mim, a forma como eu me sentia, mas também a forma como eu via a relação dos meus pais. Após várias semanas de ensaios, a peça embora tenha seguido caminhos diferentes, mantive o título como forma de criar um link para o início do projeto. Na composição coreográfica "Tarde Demais Mariana", Mariana sou eu, minha mãe e a casa onde moramos (minha primeira casa).


Ações / Exercícios de composição

Ação 1: Fechar os olhos e com o corpo desenhar de memória a estrutura da minha primeira casa.

Ação 2: Fechar os olhos e com o corpo desenhar de memória a minha mãe.  

Creation and interpretation Flávio Rodrigues;

Interpreters in the process Carla Valquaresma e Joana Castro;

Artistic advice Né Barros e Isabel Barros;

Co-production Balleteatro;

Presentations: Balleteatro auditório (Porto, PT). Galeria Servartes (Porto, PT);


Re-criação/reflexão para o Festival Dança.PT (Balleteatro), 2010

Tarde de mais Mariana (2006) é o título do meu primeiro solo. Reconheço este projeto como ponto de partida para criações posteriores: Brian Slade (2007), CATÁLOGO (2008), Charlotte O'Day (2009) e Até ao fim/Until the End (2010). Em Até ao fim/until the end (2010), minha última criação, levanto questões relacionadas à percepção de fim: a finalização de percursos ou ciclos. E é neste desafio que busco estratégias e soluções "para um sentido sem fim". A "construção" das circunferências é a metáfora que tenho que usar para encontrar no fechamento uma maneira de recomeçar. E talvez seja como consequência dessa consideração que estou penso no ciclo que as minhas performances criaram e, nesse sentido, a intenção de repensar "Tarde demais Mariana", e levar para o estúdio, agora, o "peso da todo o histórico do processo".

Para assistir ao video da performance total seguir este link >>>

A creation by and with Flávio Rodrigues

Artistic advice Vera Mota

Photograph by Tiago Oliveira

Presentations: Balleteatro (Festival Dança.pt, PT).