Flávio Rodrigues é artista multidisciplinar, começou a dançar e a desenhar com a professora e artista Alexandrina Costa em 1992. Tem formação em Dança pelo Ginasiano (1996), Balleteatro Escola Profissional (2003), Dance Works Rotterdam (2005) e pelo Núcleo de Experimentação Coreográfica (2008). Frequentou o curso de Intervenção Pública e Criação de Obras Site-specific na Universidade Lusófona (2009) e frequentou o curso de DJ na escola Bimotor (2015).
Em 2012 participa nos encontros Les Réperages/Danse à Lille e integra, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, a residência coreográfica Correios em Movimento/Dança em Trânsito (Brasil, Rio de Janeiro). Desde 2006 que desenvolve os seus próprios projectos de criação artística, multidisciplinares e de carácter experimental. O desenho, performance arte, manipulação de objectos, som, movimento e a escultura são alguns dos mediums a que recorre, objetivando induzir o corpo/obra em erro/camuflagem/estados abstractos e poéticos, como também explorar plasticidades de natureza bruta, orgânica e/ou crua, maioritariamente provenientes de processos de recolha/respigação.
Os seus projectos têm sido apresentados e expostos em diferentes lugares e em parceira com diferentes estruturas - quer de apresentação, co-produção ou apoio à residência de criação - como Teatro Municipal Rivoli (Porto), Ilka Studios (Hannover), 4BidGallery (Amsterdam), Rua Gaivotas 6 (Lisboa), Faculdad de Bellas Artes U.C.M. (Madrid), DevirCapa (Faro), Centro de experimentação artística CEIA (Moita) ou Festival Mandala (Wrocław).
A par do desenvolvimento das suas próprias criações e pesquisas, tem vindo a colaborar como figurinista, músico, cenógrafo, performer (entre 2006 e 2017) ou assistente de ensaios com diferentes artistas.
É artista associado do Balleteatro desde 2021.


Criações próprias

(2020) Encómio | Aos ossos, à bravura e ao sono dos cetáceos 

(2020) Hodiernidade | E na anfibologia do Agora 

(2019) rúptil | na era dos castigos incorpóreos 

(2018) MAGMA | No Limite da Selvajaria 

(2017) Efígie 

(2016) AIM 

(2015) G.O.D. | Godess of Desire 

(2014) VERSE$ 

(2013) RARA| Um discurso ingénuo e utópico 

(2012) Starveling | The rite of spring 

(2011) Still Golden 

(2011) Inverno de 2011 

(2010) Até ao fim 

(2009) Charlotte O`Day 

(2008) CATÁLOGO 

(2007) Brian Slade 

(2006) Tarde demais Mariana


Colaborações:

(2017) As cabras -Projecto colaboração com Mariana Amorim: Teatro Municipal Campo Alegre | Palcos instáveis (Companhia instável)

(2016) Everlasting - Projecto colaboração com Joana Castro: Festival DDD (Porto);

(2015) Um Rouxinol na Ordem Zero (Remix) com Vitor Rua e Isabel Barros: Inserido na programação Corpo+Cidade (Teatro Municipal Rivoli, Porto);

(2015) Entrudo com Jorge Porto | Batucada Radical (Criado para o encerramento da programação da Locomotiva | Porto Lazer (Porto);

(2015) LONELY Projecto criação com Bruno Senune (Inserido na exposição SUB40);

(2014) PORCELANA com Bruno Senune e Joana Castro: Inserido na exposição "Como se o mundo tivesse de ser todo, novamente, reaprendido" MIRA _ 40 anos do 25 de ABRIL;

(2014) Um coreodrama na sonosfera com Vitor Rua e Isabel Barros (Inserido na programação Corpo+Cidade, Cinema Passos Manuel, Porto);

(2013) NIL-CITY  para e com Ballet Contemporâneo do Norte;

(2013) Cuidados intensivos com curadoria de Joclécio Azevedo (Vila do conde / Festival Circular);

(2012) Última Primavera - Manobras no Porto 2012;

(2011) Amo-te - Projecto colaboração com Joana Castro - Les réperages/Danse à Lille (Roubaix);

(2009) As coisas que não destruímos - Projecto colaboração com APPC (Associação do Porto de Paralisia Cerebral);

(2009) Primavera - Fundação Serralves/Serralves em Festa09 (Porto);

(2009) Não queremos ser felizes com Carla Valquaresma - Balleteatro auditório (Dança.pt, Porto);


Exposições:

(2019 - 12 a 24 de Janeiro) "Desenhos", Exposição individual na Galeria Geraldes da Silva (Porto);

(2019 - 13 de Abril a 13 de Maio) "Desenhos", Exposição individual em Bonina (Porto);

(2019 - 29 de Outubro a 8 de Novembro) "Desenhos #3", Exposição individual em Open Fields Creative LAB (Porto);

(2021 - 27 de Fevereiro a 10 de Abril) " Bailarinos e coreógrafos que dançam desenham e pintam", Exposição colectiva com curadoria de Miguel Moreira em CAAA (Guimarães);


Figurinista e/ou concepção plástica:

(2021) Neve de Né barros;

(2020) 20.20 de Companhia Circolando (André Braga e Claudia Figueiredo);

(2019) Prenúncio de uma profunda melancolia de Bruno Senune;

(2019) IO: Maquinas, paisagens e animais de Né barros;

(2013) Landing de Né barros;

(2012) Procissão K2 de Isabel Barros;

(2012) Estrangeiros de Né barros;


    Performer:

    (2017) Muros de Né barros;

    (2015) Na rua de Miguel Moreira (Útero);

    (2015) Sol Subterrâneo de Né barros;

    (2015) Lastro +de Né barros;

    (2015) Marbel de Camila Neves;

    (2015) Cadáver Esquisito (Teatro Municipal Rivoli, Porto);

    (2015) Partículas douradas num mundo quase sempre vestido de preto de Joana Castro;

    (2014) Eurodance de Rogério Nuno Costa;

    (2014) 3 de Tânia Carvalho;

    (2014) Untraceable Patterns de Né barros;

    (2014) End of Transmission de Mariana Tengner Barros;

    (2013) Landing de Né barros;

    (2013) Outras desordens de Joclécio Azevedo;

    (2012) Stranger Making de Né barros;

    (2012) In Between London/Porto de  Mariana Amorim;

    (2012) Conspurcados de Joclécio Azevedo;

    (2012) Estrangeiros de Né barros;

    (2011) It de Teresa Prima;

    (2011) Ponto amarelo em fundo negro (com observador) de Andreas Dyrdal;

    (2011) O Baile dos candeeiros de Companhia Radar 360º;

    (2011) A noticia da minha morte foi um exagero de Susana Otero;

    (2010) Limbo de Companhia Radar 360º;

    (2010) Ché Diavolo Fate de Luís Carolino;

    (2010) 7 personagens em Hora de ponta de Elisa Worm;

    (2009) Human Box de Joana Antunes;

    (2009) Open Scores de Joclécio Azevedo;

    (2009) You who will emerge from the floor de Juliana Snapper (TRAMA);

    (2008) Manual de instruções provisório de Victor Hugo Pontes;

    (2008) Backwords and Forwords de Indio Queiroz;

    (2007) Ícones de Victor Hugo Pontes;

    (2006) Transport moi de Joana Castro;

    (2006) 1 bicho de 7 Cabeças de Patrícia Costa;


    Músico / construção de paisagens sonoras:

    (2020) Urna de Camilla Morello;

    (2018) UM [unimal] de Cristina Planas Leitão;

    (2017) A Deriva dos Olhos de Bruno Senune;

    (2016) Vaga #2 de Né barros;

    (2016) KID AS KING de Bruno Senune;

    (2016) FM [Featuring Mortuum] de Cristina Planas Leitão;

    (2014) Perto Tanto Quanto Possível de Joana Castro;

    (2014) Showroom de André Mendes;

    (2013) Velvet Cloak de Joana Castro

    (2013) Under destruction de Joana Castro;

    (2012) A construção de Pedro Rosa (BCN);


    Outras funções / Outras participações:

    (2014-Até ao presente) Co-Programador com Isabel Barros do Festival Corpo + Cidade;

    (2013-2016) Coordenador do Serviço Educativo no Balleteatro;

    (2012-Até ao presente) Professor convidado na escola profissional Balleteatro;

    (2009-2014) Bailarino na companhia Ballet Contemporâneo do Norte;