Flávio Rodrigues is a multidisciplinary artist, born in Vila Nova de Gaia (1984). Currently lives in Porto (Portugal). Starting dancing and drawing with teacher and artist Alexandrina Costa in 1992. Academically has training in Dance by Ginasiano (1996), Balleteatro Escola Profissional (2003), Dance Works Rotterdam (2005) and Núcleo de Experimentação Coreográfica (2008). Attended the course of Public Intervention and Site-Specific works at Universidade Lusófona (2009) and the course of DJ at Bimotor (2015).In 2012, after an invitation from Balleteatro, is part of the meetings 'Les Réperages/Danse à Lille' and attends the choreographic residency Correios em Movimento/Dança em Trânsito (Brasil, Rio de Janeiro), with the support of Fundação Calouste Gulbenkian. Since 2006 develops his own multidisciplinary and experimental artistic creation projects, all of them working as a progressive autobiographical construction.Drawing, Performance Arts, creation/manipulation of objects, sound, movement and sculpture are some of the supports he recurs to, aiming to induce the body/work though error/camouflage/abstract and poetic states, as well as explore the plasticities of raw, organic and/or crude nature, usually gathered from processes of recollection/splatter. The walk has been emerging as meritorious process basis. His projects have been shown/exhibited in different places and with the partnership of different structures - whether of presentation, coproduction or creation residency support - of which Teatro Municipal Rivoli (Porto), Ilka Studios (Hannover), 4BidGallery (Amesterdão), Rua Gaivotas 6 (Lisboa), Faculdad de Bellas Artes U.C.M. (Madrid), DevirCapa (Faro), Centro de experimentação artística CEIA (Moita) or Mandala Festival (Wrocław). Along with the development of his own creations and researches, has bee collaborating as costume designer, musician, set designer, performer (between 2006 and 2017) or rehearsal assistant with different creators such as Né Barros, Isabel Barros, Cristina Planas Leitão, Bruno Senune, Tânia Carvalho, Companhia BCN, Mariana Amorim, Útero, Companhia Radar 360o, Circolando or Balleteatro Escola Profissional



Criações próprias

(2020) Encómio | Aos ossos, à bravura e ao sono dos cetáceos 

(2020) Hodiernidade | E na anfibologia do Agora 

(2019) rúptil | na era dos castigos incorpóreos 

(2018) MAGMA | No Limite da Selvajaria 

(2017) Efígie 

(2016) AIM 

(2015) G.O.D. | Godess of Desire 

(2014) VERSE$ 

(2013) RARA| Um discurso ingénuo e utópico 

(2012) Starveling | The rite of spring 

(2011) Still Golden 

(2011) Inverno de 2011 

(2010) Até ao fim 

(2009) Charlotte O`Day 

(2008) CATÁLOGO 

(2007) Brian Slade 

(2006) Tarde demais Mariana


Colaborações:

(2017) As cabras -Projecto colaboração com Mariana Amorim: Teatro Municipal Campo Alegre | Palcos instáveis (Companhia instável)

(2016) Everlasting - Projecto colaboração com Joana Castro: Festival DDD (Porto);

(2015) Um Rouxinol na Ordem Zero (Remix) com Vitor Rua e Isabel Barros: Inserido na programação Corpo+Cidade (Teatro Municipal Rivoli, Porto);

(2015) Entrudo com Jorge Porto | Batucada Radical (Criado para o encerramento da programação da Locomotiva | Porto Lazer (Porto);

(2015) LONELY Projecto criação com Bruno Senune (Inserido na exposição SUB40);

(2014) PORCELANA com Bruno Senune e Joana Castro: Inserido na exposição "Como se o mundo tivesse de ser todo, novamente, reaprendido" MIRA _ 40 anos do 25 de ABRIL;

(2014) Um coreodrama na sonosfera com Vitor Rua e Isabel Barros (Inserido na programação Corpo+Cidade, Cinema Passos Manuel, Porto);

(2013) NIL-CITY  para e com Ballet Contemporâneo do Norte;

(2013) Cuidados intensivos com curadoria de Joclécio Azevedo (Vila do conde / Festival Circular);

(2012) Última Primavera - Manobras no Porto 2012;

(2011) Amo-te - Projecto colaboração com Joana Castro - Les réperages/Danse à Lille (Roubaix);

(2009) As coisas que não destruímos - Projecto colaboração com APPC (Associação do Porto de Paralisia Cerebral);

(2009) Primavera - Fundação Serralves/Serralves em Festa09 (Porto);

(2009) Não queremos ser felizes com Carla Valquaresma - Balleteatro auditório (Dança.pt, Porto);


Exposições:

(2019 - 12 a 24 de Janeiro) "Desenhos", Exposição individual na Galeria Geraldes da Silva (Porto);

(2019 - 13 de Abril a 13 de Maio) "Desenhos", Exposição individual em Bonina (Porto);

(2019 - 29 de Outubro a 8 de Novembro) "Desenhos #3", Exposição individual em Open Fields Creative LAB (Porto);

(2021 - 27 de Fevereiro a 10 de Abril) " Bailarinos e coreógrafos que dançam desenham e pintam", Exposição colectiva com curadoria de Miguel Moreira em CAAA (Guimarães);


Figurinista e/ou concepção plástica:

(2021) Neve de Né barros;

(2020) 20.20 de Companhia Circolando (André Braga e Claudia Figueiredo);

(2019) Prenúncio de uma profunda melancolia de Bruno Senune;

(2019) IO: Maquinas, paisagens e animais de Né barros;

(2013) Landing de Né barros;

(2012) Procissão K2 de Isabel Barros;

(2012) Estrangeiros de Né barros;


    Performer:

    (2017) Muros de Né barros;

    (2015) Na rua de Miguel Moreira (Útero);

    (2015) Sol Subterrâneo de Né barros;

    (2015) Lastro +de Né barros;

    (2015) Marbel de Camila Neves;

    (2015) Cadáver Esquisito (Teatro Municipal Rivoli, Porto);

    (2015) Partículas douradas num mundo quase sempre vestido de preto de Joana Castro;

    (2014) Eurodance de Rogério Nuno Costa;

    (2014) 3 de Tânia Carvalho;

    (2014) Untraceable Patterns de Né barros;

    (2014) End of Transmission de Mariana Tengner Barros;

    (2013) Landing de Né barros;

    (2013) Outras desordens de Joclécio Azevedo;

    (2012) Stranger Making de Né barros;

    (2012) In Between London/Porto de Mariana Amorim;

    (2012) Conspurcados de Joclécio Azevedo;

    (2012) Estrangeiros de Né barros;

    (2011) It de Teresa Prima;

    (2011) Ponto amarelo em fundo negro (com observador) de Andreas Dyrdal;

    (2011) O Baile dos candeeiros de Companhia Radar 360º;

    (2011) A noticia da minha morte foi um exagero de Susana Otero;

    (2010) Limbo de Companhia Radar 360º;

    (2010) Ché Diavolo Fate de Luís Carolino;

    (2010) 7 personagens em Hora de ponta de Elisa Worm;

    (2009) Human Box de Joana Antunes;

    (2009) Open Scores de Joclécio Azevedo;

    (2009) You who will emerge from the floor de Juliana Snapper (TRAMA);

    (2008) Manual de instruções provisório de Victor Hugo Pontes;

    (2008) Backwords and Forwords de Indio Queiroz;

    (2007) Ícones de Victor Hugo Pontes;

    (2006) Transport moi de Joana Castro;

    (2006) 1 bicho de 7 Cabeças de Patrícia Costa;


    Músico / construção de paisagens sonoras:

    (2020) Urna de Camilla Morello;

    (2018) UM [unimal] de Cristina Planas Leitão;

    (2017) A Deriva dos Olhos de Bruno Senune;

    (2016) Vaga #2 de Né barros;

    (2016) KID AS KING de Bruno Senune;

    (2016) FM [Featuring Mortuum] de Cristina Planas Leitão;

    (2014) Perto Tanto Quanto Possível de Joana Castro;

    (2014) Showroom de André Mendes;

    (2013) Velvet Cloak de Joana Castro

    (2013) Under destruction de Joana Castro;

    (2012) A construção de Pedro Rosa (BCN);


    Outras funções / Outras participações:

    (2014-Até ao presente) Co-Programador com Isabel Barros do Festival Corpo + Cidade;

    (2013-2016) Coordenador do Serviço Educativo no Balleteatro;

    (2012-Até ao presente) Professor convidado na escola profissional Balleteatro;

    (2009-2014) Bailarino na companhia Ballet Contemporâneo do Norte;