"Hodiernidade | e na anfibologia do Agora" é um projecto de investigação em torno de figuras circulares e circunferências como conceito, estética, poética e território. Do processo emergem várias ramificações.


Projecto #1 - Apresentado no Contexto do Walk and Talk edição 9.5

ONLINE

ONSITE

Fotografia de Sara Pinheiro


Projecto #2 - Apresentado no contexto do Family Film Project (Museu da FBAUP, Porto)

Fotografia de Pedro Figueiredo


Projecto #3 - Residência de pesquisa e Open Studio em Espaço VAGA (Açores) 

Fotografias e vídeo de Bruno Monfort


Projecto #4 - Reclamar tempo / Programa desenvolvido no CampusPCS, Porto

Video de João Fiadeiro e Fotografias de José Caldeira


Projecto #5 - Festival Walk&Talk (Açores), 2021

Hodiernidade | e na anfibologia do agora (Alegoria Do Choro)

Flávio Rodrigues tem uma prática multidisciplinar e de carácter experimental e processual, onde os projetos são partes integrantes de uma produção e construção autobiográfica e referencial. Tem-se interessado nas possibilidades que diferentes materiais introduzem na sua relação com o espaço e com o corpo. Talvez por isso a instalação cénica, a criação/manipulação de objetos, as esculturas e o desenho têm sido recorrentes. Nos seus últimos projetos tende a reparar o objeto como elementar à performatividade do construtor (performer), e é nesse seguimento, sentido e terreno que surge Hodiernidade | e na anfibologia do Agora (Alegoria do Choro).

Este projeto acontece na Pedreira do Grupo Marques, e é a especifi cidade desse lugar que alimenta a performance como evento único. É desenhado no solo um sistema circunferencial de pedras, e esse novo espaço de organização projeta e nutre ressonância (som) através do toque (corpo - mão). As pedras não lhe pertencem, não são gastas nem resultam como desperdício do ato. No seu diagrama poético de pensamento, o acontecimento revela-se, de pedra em pedra, amplificando o choro (ruído) como tragédia teatral, cedendo o microfone (voz) ao outro, em que não se contempla mas se é.

Fotografia de Álvaro Miranda

Fotografia de Sara Pinheiro