2021 - LAIVOS | Ante improvisos e ressonâncias





E depois? Depois, o silêncio...

“LAIVOS | Ante improvisos e ressonâncias” intitula um projeto híbrido e de cariz experimental, onde a paisagem sonora, criação/manipulação de objectos, escultura e desenho são os mediums predominantemente invocados. O projecto consiste numa serie de acontecimentos performativos de duração variável, a serem apresentados em espaços de passagem e visita como foyers de teatro, rua, galerias ou museus, sendo por este propósito pensados e concebidos em modo multidimensional, a 360º e site/time specific.
Em comum, as ações projectam-se como objectos efêmeros, permeáveis, mutáveis e em processo contínuo de pesquisa, quer sonora, visual ou instalativamente. Alimentam-se em torno da Presença como conceito basilar, pretexto poético e ou palavra-eco/chave. A Presença é, aqui em causa, revelada e tratada em modo pluri prisma, ao ser expandida na sua narrativa, pode até ser vista como inacessível e inatingível (ínvio).
Importa reflectir e por em prática manifestações que intercepcionam o acto performativo com o estar aqui (?) e o estar agora (?), que aceitem e transformem as interferências, sejam elas de que natureza for, em matéria integrante do próprio ato de criar e por consequência o acto de performar.
O lugar e o tempo mapeiam territórios férteis, alimentando e sugestionando a atenção de outros sentidos como o cheiro ou o toque, ou como o comungar e ritualizar do território performático/performer com a presença vivifica do público transeunte e/ou presente.
O(s) acontecimento(s) podem ser vistos como celebrações ao ruído da existência ou como tentativas de simulacros da vida e do mundo, tendo em conta o poderoso direito de existir sem prerrogativas.
São ações que se objectivam a expurgar, limpar, desmistificar e libertar de si e por si da tão presente Presença (estar sempre presente).
O Vidro, Grafite, Alumínio, Barro, Madeira e Pano crú são alguns dos materiais/matérias a viver no decorrer do processo de pesquisa e criação.

No decorrer do processo criativo, irá ser feito registo documental, oferecendo ao projeto a possibilidade de “viver” em outro tipo de plataformas que alimentam a sua existência, propagação e arquivo.


Um projecto de e com Flávio Rodrigues
Registo documental com Gustavo Santos