2006 - Tarde demais Mariana


PT
(Performance criada durante o curso de dança na escola profissional Balleteatro. (2006)

"Tarde demais Mariana" é o titulo de um romance da escritora Portuguesa Filomena Cabral. Para falar desta peça, considero importante dizer que adquiri este livro no dia em que a minha primeira relação amorosa de longa duração terminou.
Importante também referir, que nesta mesma altura, no decorrer da minha formação no Balleteatro, surge a necessidade de criar um trabalho coreográfico a solo - o facto deste livro estar muito presente, levo-o para estúdio como ponto de partida.
O livro relata um trio amoroso, e vários textos são dedicados à morte de uma das personagens e à forma como inquietou Mariana, a personagem principal - estão também presentes reflexões das "várias faces da mulher dúplice, ambígua, criada pela civilização cristã e patriarcal e que, só através do homem, teria sua identidade definida".
E sim, tudo isto fazia sentido para mim, pela forma como me sentia, mas também como via a relação dos meus pais.
Para a criação do solo, não estava interessado em narrar ou ilustrar os textos, mas sim usá-los como forma de chegar até ao meu passado. Após várias semanas de processo criativo, a peça embora tenha seguido também, outros e diferentes caminhos, foi-se mantendo o título como forma de criar uma ligação com o início do projeto. Na composição coreográfica "Tarde demais Mariana", Mariana sou eu, a minha mãe e a casa onde vivemos (a minha primeira casa).


EN
(Performance created during the course of dance in the professional school Balleteatro. (2006)

"Tarde demais Mariana" is the title of a novel by the Portuguese writer Filomena Cabral.
I bought this book on the day that my first long-lasting love relationship ended.
At that same time, for a school exercise it was necessary to create a choreographic solo. The fact that this book was very present, I toke it to the studio as a starting point.
The book reports a loving trio, and several texts are devoted to the death of one of the characters and the way it disturbed Mariana (main character) - are also present reflections of the "Several faces of duplicitous, ambiguous woman, created by christian and patriarchal civilization, where only through man, those woman could have a definite identity".
All this made sense to me, the way I felt, but also the way I saw my parents relationship.
For the creation of the solo, I was not interested in narrating or illustrating the texts, but using them as a way to reach my past.
After several weeks of essays, the play although it followed different paths, I maintained the title as a way to create a link to the beginning of the project. In the choreographic composition "Tarde demais Mariana", Mariana is me, my mother and the house where we live (my first house).


Creation and interpretation Flávio Rodrigues;
Interpreters in the process Carla Valquaresma e Joana Castro;
Artistic advice Né Barros e Isabel Barros;
Co-production Balleteatro;
Presentations: Balleteatro auditório (Porto, PT). Galeria Servartes (Porto, PT);




+

PT
Reposição e reestruturação para festival DANÇA.PT (Balleteatro, Porto)
Tarde demais Mariana (2006 - 2010)

Tarde demais Mariana (2006) é o titulo do meu primeiro solo. reconheço este projecto como ponto de partida para as posteriores criações: Brian Slade (2007), CATÁLOGO (2008), Charlotte O`Day (2009) e até ao fim /Until the end (2010).
Em até ao fim / Until the end(2010) a mais recente criação, levanto questões relacionadas com a percepção de fim: o finalizar de percursos ou ciclos. E é neste desafio que procuro estratégias e soluções "para uma não significação de fim". A "construção" de circunferências é a metáfora que tendo a usar para encontrar no fecho uma forma de recomeçar. E é talvez como consequência desta consideração que estou a pensar no ciclo que as minhas performances criaram, e neste sentido, surge a intenção de repensar "Tarde demais Mariana", e levar comigo para estúdio, agora, o "peso de todo o procedente historial".


EN
Replacement and restructuring for festival DANÇA.PT (Balleteatro, Porto)
Tarde demais Mariana (2006-2010)

Tarde demais Mariana (2006) is the title of my first solo. I recognise this project as a starting point for subsequent creations: Brian Slade (2007), CATÁLOGO (2008), Charlotte O'Day (2009) and Até ao fim/Until the End (2010).
In Até ao fim/until the end (2010), my latest creation, I raise issues related to the perception of end: the finalization of routes or cycles. And it is in this challenge that I seek strategies and solutions "for a non-ending meaning". The "construction" of circumferences is the metaphor that I have to use to find in closure a way to start over. And it is perhaps as a consequence of this consideration that I am thinking of the cycle that my performances have created, and in this sense, the intention of rethinking "too Late Mariana", and taking me to the studio now, the "weight of all the proceeding history".

A creation by and with Flávio Rodrigues
Artistic advice Vera Mota
Photograph by Tiago Oliveira
Presentations: Balleteatro (Festival Dança.pt, PT).




Vídeo Completo | Full video



+


Coleção de postais - intitulados de Tarde demais Mariana (2006 - 2020/21) - cujos registos de imagem acontecem entre 2020 e 2021. 

Texto colocado no instagram como divulgação do primeiro postal, no dia 25 de Setembro de 2020:
Talvez porque este verão esteja a terminar, mas não só. Talvez porque ultimamente tenha estado a preparar uma performance para o festival Family Film Project e nesse sentido me esteja a deixar embalar por reflexões em torno do arquivo e memória, mas não só. A esta fotografia (postal) intitulo de tarde de mais Mariana (2006- 2020/21), o título é o mesmo da minha primeira performance em 2006, na altura, das várias motivações que levei para estúdio, a casa onde vivi a minha infância foi o assunto predominante, em resumo, eu movimentava-me no espaço desenhando de memória essa mesma casa. É nessa ideia de abrigo ou casulo e também inspirado num desenho (aqui no post) feito em 2003 que começo (em colaboração com a minha mãe) a construir este patchwork.

Poderás ter um destes postais no dia 14 de outubro, dia em que apresento a performance “hodiernidade e na anfibologia do agora (Mãe)” no museu da faculdades de Belas artes (Porto), inserido na Private Collection / Family Film Project (Balleteatro).